Could it be Me?

29.7.06

É preciso ser mais Assertiva na Vida?

Durante estes ultimo mês travei uma batalha comigo mesma.
Tentar não me pronunciar quando via que algo coisa não estava bem. E isto em varios campos: no trabalho, na rua, com os vizinhos até com o miudo que me lava o carro.

Tomei esta decisão por achar que me consumia demais a aflição que se apoderava de mim quando via uma atitude errada, uma reacção mesquinha, uma "facada" cínica, um gesto que normalmente me poria de pé a trás.

Adoptei outra táctica: Encarar como sendo o perfil de cada um e não tentar que esse mesmo perfil se encaixa perfeitamente na minha visão de vida, no meu mundo ideal. Em uma só frase decidi praticar Tolerância. (+ tolerância do o normal... uma tolerancia exacerbada)
Aí vão alguns dos meus actos de puro autruismo humano do passado mês:

- Optei por achar que o meu primo Bruno, não tapa a pasta de dentes de manhã porque ele aboslutamente NÃO tem tempo de o fazer. Apesar de viver a menos de 5 minutos a pé do seu local de trabalho. E que muito menos tinha intenção de me irritar quando atirava a sua Gilette, ainda com vestigios de espuma para cima do meu cesto, onde residem os truques de qualquer mulher (bases, pós, batons e hidratantes)

-Deixei de pensar que a minha empregada Tété fazia de propósito ao não arrumar sempre a minha roupa por cores (é uma daquelas fixações/fobias que qql ser humano está sujeito). Passei a achar que ela apenas se esquecia na maior parte dos casos, e fui optimista... "daqui a mais dois anos ela acerta" em vez de lhe tirar satisfações dia-sim dia,-tambem.

- Tive uma atitude nova na area profissional. Acreditando que somos todos uma grande familia e ignorando comentários fanhosos e atitudes infantis, tudo em prol do trabalho de equipe saudável. E tentei sempre fazer ver que todos temos um lugar ao sol, sem para isso ter que haver rasteiras, quedas ou "bassulas".

- Até a rotina e disciplina do meu filho Joshua foi contemplada por este meu estado de tolerância quase absoluta. Ao invés que o "aniquilar" na cama e adormece-lo as 10 da noite, deixei-o "gingar" pela casa até que caisse redondo no chão de tanto sono. Apesar de uma noite ele estar no pico da sua energia e serem 1uma da manhã e ele ainda andar a procura do telemóvel do avô.

- Não dei tantos bafos ao Russo (o rapaz que lava o carro), por estar a desempenhar a sua tarefa cada dia mais tarde e eu ainda ter que esperar que ele acabe para sair.

- Não refilei quando me pediam para tirar o meu carro do estacionamente reservado. Reservado a todos menos a mim, mas que eu insistia todos os dias em inflitrar o meu carro quando estavam distraídos

- Não buzinei tanto para os candongueiros que insistem em para no meu da rua para efectuar as suas cargas e descargas e permaneci "impavida e serena" até que a marcha volta-se ao normal.

- e etc e etc que fui tolerando.

Estava tão orgulhosa de mim mesma por o ter feito durante quase um mês inteiro, quando estavamos quase no fim do mês da tolerancia decidi fazer um balanço. Cheguei a uma dupla conclusão:
1. Os actos acima enunciados continuavam a consumir-me, mas desta vez de uma forma silênciosa. Para o bem estar de terceiros (quartos ou quintos) não exteriorizava o que sentia.

2. Que na vida temos que realmente ser assertivos para não sermos consumidos

Então passei ao sistema antigo (old me) para um com o nome mais estudado, Asserção. Fui inclusivamente buscar definição ao dicionário para ter a certeza que agora era isso que queria mesmo ser.
Asserção: proposição que se apresenta como verdadeira; Afirmação.

Resumindo: dizer o que se acha(de forma correcta), e de maneira a que não se deixe duvidas sobre a forma como encaro determinadas coisas.
Acho que essas duvidas que por vezes deixamos no ar, é que leva a desentendimentos e mau-estar. Assim toda e qualquer pessoa fica consciente de como lidar comigo em determinadas situações.

Então começei um novo "sistema" - o ser mais assertiva, para evitar ulceras e etc.
Os resultados? Só daqui a um mês.

28.7.06

Egocentrismo Vs Bolas e Circulos

Tava farta dos "dots" do meu antigo modelo de Blogg.

Interessante quando há tempos me sento com um amigo para desenhar um logo para a minha Kimica.lda e pedi que tivesse bolas.
Ele analisou a minha escolha e comentou "bolas e circulos significam normalmente um egocentrismo".

Fiquei perplexa. Nunca antes me tinha achado tal coisa.

Analisei mais profundamente... e mesmo assim não consegui encontrar o so-called "egocentrismo" que me tinha sido diagnosticado por um designer grafico.
Estaria ele a referir-se aos momentos que preciso de tirar para mim??? Ou ao facto de até certo ponto gostar de "estar sozinha"??? Ou ainda por ser dificil dizer tudo o que sinto, e preferir guardar para mim???

Nah... não podia ser.

Egocentrismo não é isso, mas sim ignorar quem está triste ao nosso lado e falar da nova Pivot da Cnn, só para passar o tempo até que o seu programa de TV preferido começe e que o silêncio tome conta da mágoa da pessoa ao lado.

Sempre achei, que a minha missão na vida é fazer as outras pessoas felizes, e confesso que vivo sob esse lema.

Tudo menos egocentrica :)

Por isso, se a leitura circulos VS egocentrismo estiver correcta... foi apenas um precalço de escolha.

27.7.06

O Infantário, Porque???

Hoje fui confrontada com aquilo que sempre achei impensável...: o Pai do meu filho a tentar pressuadir-me de que o pequeno Joshua, meu filho ficaria muito mais feliz se fosse para uma Creche/infantario/daycare e/ou qualquer um desses nomes giros que gostam de dar. "é que ele fica muito sozinho em casa só com a bába" dizia ele naquilo que parecia ser uma voz preocupada (sim a conversa foi ao telefone).
Automaticamente vieram-me à cabeça um cubiculo com mais de 4mil especies diferentes de bacterias, a "atacarem" o corpo são do meu filho, protegido por doses diarias de Protovit...
Para a pessoa practica que sou...sempre achei que creche faria parte da minha vida de mãe.
Pois bem... o lado practico da vida nao se aplicou aqui....
Nunca achei uma creche tão desnecessarias, e alias noçiva... Toda a gente sabe que os filhos ficam doentes nos primeiros tempos de convivencia no infantário.
O meu mais primitivo instinto maternal veio ao de cima, sem eu propria me aperceber.
"Não quero que o meu filho vá para o infantário"
E ai veio tambem ao de cima o meu horroroso egoismo, por ter pensado só em mim, e não me permitir equacionar o Bem que o infantário poderá fazer a uma criança de 16 meses que chega ao fim do dia no pico da sua energia.
Cedi...
"Talvez... amanhã vamos visitar alguns infantários, desses que estão na berra" admiti contrariada
"... mas vai apenas por um periodo." conclui a jeito de quem deu apenas 50% o-braço-a-torcer.

Para bem do minhoquinha... ele vai... lá vou ter que reforçar a dose do Protovit (mas primeiro tenho que perguntar a prima Sharah se posso).... checkar as vacinas para um leve update e lançar o meu filho, para aquilo que vai ser a vida daqui para a frente:
-Luta pela conquista do que queremos, nem que seja apenas um carrinho
-Tristeza quando nao conseguimos, e no caso dele acaba "atropelado" por um "grande"
-Alegria e regojizo quando "chegamos lá", mesmo que seja chegar ao colo da educadora mais proxima para chorar um bocadinho

Mas vai aprender e vou ensinar como contornar estas coisas...~
E...... lá vai o meu filho para o Infantário.

5.7.06

Hoje apeteceu-me um croissant

Hoje acordei com fome. Não que isso seja alguma novidade em mim... já que abro os olhos e no minuto seguinte estou especada na geleira à procura da "proxima vitima". Mas hoje foi diferente.
Hoje estava um croissant quase perfeito no cestinho do pão a olhar para mim. Tive sorte que o meu primo Bruno não o deverou, num dos seus ataques de madrugada.~
Hoje quebrei a dieta... pois...a fantastica mas dolorosa dieta das proteinas, pura e simplesmente proibe-me de tudo o que é bom inclusive o lindo croissant que estava a rir-se para mim.
E num impeto que há muito nao tinha.....(tenho respeitado a dieta) ATAQUEI..... e mais pensei.
Perdidos por 1.... perdidos por Mil: inclui tudo o que tinha direito.... Queijo, presento e outros da secção de charcutaria.
Deliciei-me como quem como Ostras em Paris :)
Mas vou ficar o resto do dia restringida as minhas saladas e proteinas.... dá resultado.

28.6.06

Só meu

Cheguei ao Mundo dos Bloggs. Fantastico. Só Meu!!